sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Café com Escritores


C a f é  c o m  E s c r i t o r e s


Acontecerá no dia 31 de outubro de 2017 (terça-feira), ás 14 horas no Auditório Petrobrás da Biblioteca Pública Municipal e Escolar Norberto Cândido Silveira Júnior, o evento "Café com Escritores", o objetivo da confraternização (café) tem como meta reunir escritores regionais bem como o fomento pela leitura das obras, além da divulgação das mesmas e do diálogo entre escritores.

Biblioteca promove "Semana da Criança"



Comemorando a “Semana da Criança”, a Biblioteca Pública Municipal e Escolar Norberto Cândido Silveira Júnior, promoverá eventos nos dias 09,10 e 11 de outubro. Entre as atividades está rua do lazer, contação de histórias e teatro.
Na segunda-feira (09), a partir das 14 horas, a festa vai acontecer em frente a Biblioteca, na Praça da Bíblia. A rua será fechada e crianças das escolas municipais próximas, poderão se divertir com circuitos e brincadeiras. Também acontecerá “Esculturas de balões” e o projeto “Semeando Livros”. Caso o tempo esteja chuvoso, a programação será transferida para o Ginásio Gabriel João Colares.
A programação continua na terça-feira (10), às 14 horas, com apresentações de peças teatrais. A Companhia Mútua estará encenando “A Caixa”, que é um espetáculo de teatro de bonecos. A trama apresenta uma ideia sustentável diante de brinquedos inutilizados.
A seguir será apresentada a peça “O menino do dedo verde”, da Cia de Experimentus, que conta a história de Tistu, que descobre ter um polegar verde capaz de fazer brotar plantas nos lugares mais improváveis.
Na quarta-feira (11), das 8h às 12h, e das 14h às 17h, a equipe de profissionais da Biblioteca e professores da Rede Municipal de Ensino realizarão contação de histórias.

http://biblioteca.itajai.sc.gov.br/noticia/18795/biblioteca-promove-eventos-para-as-criancas

terça-feira, 27 de junho de 2017

Biblioteca completa 17 anos e homenageia 100 anos do patrono Silveira Júnior

Biblioteca completa 17 anos e presta homenagem a seu patrono

Familiares de Norberto Cândido Silveira Júnior participam do evento que também comemora o centenário de seu nascimento


A Biblioteca Pública Municipal e Escolar de Itajaí completa 17 anos de fundação, na próxima terça-feira (27). A instituição prestará homenagem aos familiares do seu patrono, jornalista e escritor Norberto Cândido Silveira Júnior. As comemorações começam a partir das 9 horas, quando alunos da rede municipal de ensino estarão visitando as dependências da biblioteca, quando acontece exposição sobre a vida de Silveira Júnior.
Durante o dia, estudantes das escolas municipais, particulares e creches, participam de atividades programadas na Praça da Bíblia, em frente à biblioteca. A partir das 19 horas, acontece solenidade com a presença de autoridades do município e de familiares de Silveira Júnior.
A Biblioteca Pública foi fundada no dia 27 de junho de 2.000, e conta com um acervo de mais de 15 mil livros. São cerca de 1.700 pessoas credenciadas a retirar livros para lerem em suas casas. Em média, recebe 468 pessoas por dia e são emprestados diariamente 77 livros, sendo o gênero romance o mais procurado.
A idade média dos frequentadores gira em torno de 30 a 40 anos, que vão utilizar os computadores, ler jornais e revistas colocados à disposição da comunidade. Já para a criançada são programadas atividades como contação de histórias, visitas monitoras, entre outras. Desde o início do ano, foi computado um total de 3.533 crianças participantes.
A biblioteca desenvolve outras atividades, como Projeto Andante, onde em duas oportunidades visitou o Asilo Dom Bosco e aconteceu contação de histórias, voluntários leram livros para os idosos, puderam ouvir música e ainda foram levados alguns livros para aqueles que preferem ler.
Outro projeto criado é a Expoteca que promove exposições. A primeira aconteceu em fevereiro quando foi contata a história da Escola de Samba Imperador de Itajaí. As pessoas têm também a oportunidade de se divertirem jogando xadrez, dama, trilha, ludo, quebra-cabeça em madeira e jogo da velha.
O projeto “De Livro para Filme e de Filme para o Livro”, realizado quinzenalmente, exibe um filme baseado em uma história contada em um livro. O troca-troca de gibis é outra promoção que incentiva as crianças a pegarem gosto pela leitura. Outra interessante iniciativa é o Projeto Educativo Amigos da Biblioteca, que consiste em oportunizar as crianças a participação no trabalho da biblioteca, conhecendo e envolvendo-se ativamente em cada setor, tornando-se monitores e multiplicadores desse trabalho. O Projeto é dirigido para crianças com idade entre 6 e 14 anos.
O Projeto Semeando Livros consiste em deixar livros em praças, pontos de ônibus e demais locais públicos que, acompanhados de um bilhete de saudação e informação sobre o projeto, oportunizam a leitura para qualquer cidadão, independente de sua idade, localidade ou classe social.  
A biblioteca atende de segunda a sexta-feira das 8h às 19 horas, sem interrupção para o almoço, e aos sábados no horário das 8h às 12 horas.

     Norberto Cândido Silveira Júnior
Nasceu no município de Piçarras, então distrito de Penha, Santa Catarina, em 17 de maio de 1917. Aos seis anos de idade já trabalhava na roça, com o pai e os irmãos. Devido à dificuldade de acesso à escola, por haver nascido em berço humilde, sua educação formal estacou no 3º ano primário da Escola Mista do Núcleo Rio Branco, no município de Guaramirim - SC, onde seus pais - Norberto Cândido Silveira e Maria dos Anjos Silveira - exploravam a agricultura, como modestos pequenos proprietários, ajudados pelos filhos, desde a mais tenra idade.
Ele próprio narra com extrema sinceridade, em "Memórias de um menino pobre", episódios de sua infância, quando, órfão de pai, enfrentou juntamente com sua mãe e irmãos as adversidades da vida pobre de lavrador do interior. Menino de impressionante determinação, lutou exaustivamente em busca de pequenas coisas, como substituir seu chapéu de palha e comprar umas garrafas de gasosa.
A forte personalidade de menino homem levava-o a questionar dogmas, conceitos e costumes até então estabelecidos, os quais desprezava, preferindo suas próprias ideias. Certa vez, queixou-se com sua mãe, dizendo-lhe que não queria ir mais às missas, porque o sermão do padre havia amedrontado, com ameaças de que Deus fecharia as portas do céu aos meninos desobedientes e que o fim deles seria o inferno junto ao diabo, queimando no fogo eterno. Não concordava com o padre e achava que aquilo tudo era pura bobagem. Ao ouvir as queixas do filho, a mãe o dispensou de ir às missas dominicais. Mais tarde confessaria que se impressionava com trovoadas, ventos e relâmpagos.
Não obstante sua precária formação de bancos escolares, foi um autodidata que galgou as mais altas posições no cenário catarinense, tendo exercido cargos como assessor de Antônio Carlos Konder Reis na governança do Estado (1975-1979) e de seu assessor na Secretaria Especial de Reconstrução; mais tarde, ocupou o cargo de secretário adjunto da mesma pasta, até o final do governo de Esperidião Amim. Casou-se com Lígia Pereira Silveira, com quem teve duas filhas.
Detentor do registro nº 1 de jornalista do serviço público e do registro nº 12 de jornalista colaborador junto ao MTPS, foi redator do Diário da Tarde, de Florianópolis; redator do Dia e Noite, de Florianópolis; correspondente, em Santa Catarina, da extinta agência noticiosa Asapress; diretor de programação da Rádio Difusora de Itajaí; diretor e redator-chefe do jornal Itajaí; e diretor e redator-chefe do jornal O Sol, de Itajaí e Balneário Camboriú.

Obteve cinco prêmios em concursos de contos (década de 40) da antiga Revista da Semana, do Rio de Janeiro, dirigida por Magalhães Júnior, e dois primeiros prêmios em concursos de contos do antigo suplemento Letras e Artes, do jornal A Manhã, dirigido por Jorge Lacerda.
Radicado em Florianópolis (1975), assinou coluna semanal, como colaborador, nos jornais A Ponte, de Florianópolis; O Município, de Brusque; O Sol, de Itajaí e Balneário Camboriú; Correio do Povo, de Jaraguá do Sul e Jornal de Santa Catarina, de Blumenau; além do programa diário de cinco minutos Silveira responde, na RBS TV, que apresentava quando era assessor do governador Antônio Carlos Konder Reis. Foi eleito para a cadeira nº 2 da Academia Catarinense de Letras, tomando posse em 27 de setembro de 1972.
Publicou as seguintes obras:
"Itajaí-1949", 250 páginas, também conhecida como Anuário de Itajaí; "História de uma cidade: Itajaí", 1972, Editora Escalibur, São Paulo; "Um brasileiro nos Estados Unidos", 1ª edição do autor, 2ª edição da embaixada americana, cujo então embaixador Lincoln Gordon a oficializou para bolsistas brasileiros naquele país. Vendidos os direitos autorais para a Tecnoprint Gráfica e Editora, do Rio de Janeiro. Chegou à 3ª edição, Também esgotada;
"Memórias de um menino pobre", Editora Lunardelli, 1977. Romance rural autobiográfico que trata da vida do autor até seus 16 anos, quando sai do campo e vai para a cidade de Joinville. Ilustrada, a obra possui 174 páginas, estando em sua 4ª edição; "Cristianismo e justiça" - tema filosófico-religioso, em que o autor (assíduo leitor da Bíblia) defende a tese de que o cristianismo não é justo. Editada pelo próprio autor, foi distribuída gratuitamente em sua posse na Academia Catarinense de Letras, e aos assinantes do jornal O Sol, dirigido por ele na época; "Depois do juízo final" - romance de ficção científica, Editora Global, São Paulo, 1982; "Confissões de uma filha do século" - romance, editora Lunardelli, 1984; "Mil notícias culturais" - pesquisa, Editora Lunardelli, 1985; "Nossa guerra contra a Alemanha" - romance histórico, Editora Lunardelli, 1988.
Além de titular da cadeira nº 2 da Academia Catarinense de Letras, foi presidente do Conselho Editorial da UDESC; membro do Conselho Estadual de Cultura e membro da Associação Catarinense de Escritores.
Silveira Júnior tem seu nome eternizado em ruas das cidades de Araranguá e Guaramirim, em uma praça em Balneário Camboriú e em uma espécie vegetal da família das mirtáceas, Mircária Silveriana, classificada pelo botânico catarinense Pe. Raulino Reitz.
Faleceu no dia 3 de dezembro de 1990, em São José, SC, exatamente dois meses após ter sofrido o infarto que o levara ao Hospital Regional, de onde só sairia para ser velado e sepultado no Jardim da Paz, em Florianópolis, na presença de grande número de amigos, confrades escritores e jornalistas, autoridades diversas e familiares.

http://www.itajai.sc.gov.br/noticia/17817/biblioteca-completa-17-anos-e-presta-homenagem-a-seu-patrono

terça-feira, 18 de abril de 2017

18 de Abril dia do livro infantil

Você sabia que no dia 18 de abril é comemorado o Dia Nacional do Livro Infantil? A data não foi escolhida ao acaso: trata-se de uma justa homenagem a Monteiro Lobato, escritor que, como poucos, dedicou-se à literatura infantil no Brasil.
O Dia Nacional do Livro Infantil foi instituído em 2002, ano em que foi criada a Lei 10.402/02, registrando a data de nascimento de Monteiro Lobato como o dia oficial da literatura infanto-juvenil. Escritor vinculado ao Pré-Modernismo brasileiro que contribuiu com obras célebres para o público adulto, Lobato deixou também um enorme legado para a literatura infanto-juvenil, já que mais da metade de seus livros era dedicada a esse público. Sua primeira história infantil, A menina do narizinho arrebitado, foi publicada em 1920, e o sucesso do livro fez com que outros tantos surgissem, imortalizando as personagens Dona Benta, Pedrinho, Narizinho, Tia Nastácia, Emília, o Visconde de Sabugosa, entre outros, que posteriormente seriam eternizados no famoso programa de TV produzido no final dos anos 1970 até meados dos anos de 1980 e retomado no final dos anos de 1990 até meados dos anos 2000.
Monteiro Lobato foi o primeiro escritor da literatura infanto-juvenil a perceber a necessidade de inserir nas histórias para as crianças e os jovens elementos da cultura nacional, como os costumes do povo do interior e as lendas de nosso folclore. Fez isso de maneira única, combinando a identidade brasileira aos elementos da literatura universal, como a mitologia grega. Foi também o precursor da literatura paradidática, cuja principal característica é permitir que a criança aprenda enquanto brinca e lê.
Nascido em Taubaté, estado de São Paulo, no dia 18 de abril de 1882, Monteiro Lobato transformou-se em “gás inteligente” — definição bem-humorada que costumava dar à morte — no dia 04 de julho de 1948. Durante seus 66 anos de vida contribuiu intensamente para a literatura brasileira, transformando-se em referência no assunto. Para celebrar o dia da literatura infanto-juvenil, escolha um dos vários títulos de Lobato e boa leitura!

Por Luana Castro
Graduada em Letras

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Escritor itajaiense lança livro dia 18 na Biblioteca

O escritor itajaiense Ricardo Negreiros lança seu primeiro livro, “Quando éramos dois”, do gênero romance, dia 18 de abril, às 19 horas, na Biblioteca Pública Municipal e Escolar Norberto Cândido Silveira Júnior. O autor é engenheiro agrônomo pesquisador na área agrícola, e muito diferente das suas publicações como extensionista e pesquisador, o livro conta a história de vida e experiências emocionais do casal quando da busca pelo primeiro filho.
No livro o autor narra o drama de um casal a espera da chegada do primeiro filho. Uma espera que durou 22 anos. A história começa relatando ao filho como os pais se conheceram, passando pelo namoro e casamento. As conquistas profissionais e pessoais, as viagens, os lugares onde moraram, os amigos que fizeram e os planos que tinham para o futuro.
A trama da história ainda apresenta momentos doloridos da vida, como a perda de parentes que lhe deixaram durante esse período e também os momentos felizes, como a conquista da casa própria ou do reconhecimento profissional pelo trabalho realizado. A parte final do livro, o autor relata as dificuldades do casal para terem o filho e a felicidade em serem pais.

Biblioteca lança projeto “Nesta Praça tem Leitura”

A Biblioteca Pública Municipal e Escolar Norberto Cândido Silveira Júnior realiza a abertura da Semana do Livro Infantil com o lançamento de um novo projeto. Trata-se do “Nesta Praça tem Leitura”, na próxima segunda-feira (17), a partir das 14 horas, na Praça da Bíblia (em frente à Biblioteca).
Muitas atrações estão programadas, entre elas contação de histórias com o Grupo Contart, contadora Édina Calegaro (Univali) e contadores da Biblioteca. “Teremos ainda varal literário, apresentações musicais, oficinas e a abertura da 3ª Expoteca que tem como tema autores itajaienses e escritores infantis, e bate-papo com os autores”, explica a diretora da Biblioteca, Geani Fiorenzano.
Ainda estará participando desta ação a Fundação Municipal de Meio Ambiente de Itajaí (FAMAI), com atividades de Educação Ambiental; o Viveiro Fazenda Nativa que vai ensinar as crianças a plantar e replantar mudas de plantas; a secretaria de Saúde estará orientando sobre a dengue; e o canil municipal estará fazendo doações de gatos e cachorros.
“O SESC estará participando com os jogos de tabuleiros gigantes. Teremos também piquenique literário, intervenção artística de clown com Odessa Cristina e muitas atrações musicais”, finaliza Geani Fiorenzano.

http://www.biblioteca.itajai.sc.gov.br/noticia/17061/biblioteca-lanca-projeto-nesta-praca-tem-leitura#.WO5CqN9idCU